Pesquise no blog

Rachel Costa, a professora apaixonada pela música

Gisele Rizental e a professora Rachel Costa 
O Cine Teatro Municipal de Paranaguá leva o nome da professora Rachel Costa.

 Rachel de Souza Pereira da Costa nasceu em Paranaguá no dia 03 de abril de 1926. Filha de Antonio Moraes Pereira da Costa (Tonhá Régis) e Maria Lupia de Souza Pereira da Costa.
Órfã de mãe aos dois anos de idade, Rachel ficou aos cuidados de sua avó materna e tia. Iniciou seus estudos em Paranaguá e, por algum tempo, estudou em Antonia  para onde seu pai foi transferido por ser funcionário público federal.
Ao chegar a época do curso ginasial Rachel retornou a Paranaguá para continuar seus estudos, vindo a residir na casa do seu tio materno Eugenio José de Souza (Seu Genico) político de destaque na cidade e de sua esposa Erotides Arzua (dona Tide) que ensinou a Rachel as primeiras noções de música e da técnica pianística.  
Com o retorno do seu pai a Paranaguá, voltou a morar com a família e terminou o curso ginasial no Colégio José Bonifácio e cursou magistério na Escola Normal Dr. Caetano Munhoz da Rocha. Sempre foi uma aluna destaque nos estudos, dedicada e sempre aprovada com distinção.
Continuou seus estudos de piano com a professora Maria José dos Santos Alves (a dona Zezita) que, em agosto de 1942, instalou em nossa cidade a academia musical de Paranaguá.
Rachel concluiu o curso de piano e participou de vários recitais e concertos. Numa ocasião, a grande pianista Madalena Tagliaferro, ouvindo Rachel tocar elogiou sua interpretação e técnica e ofereceu a ela um curso de especialização pianística. A família de Rachel não aprovou a ideia, pois naqueçe tempo os pais não permitiam aos jovens, principalmente às moças, saírem de casa sozinhas, para morar longe da família. Por essa razão Rachel continuou em Paranaguá. 
Na década de 1950 foi nomeada professora de música e canto orfeônico do ginásio José Bonifácio e da Escola Normal Dr. Caetano Munhoz da Rocha.
Sempre dinâmica e competente organizou som seus alunos vários orfeões, festivais de música, apresentações de peças teatrais e grandes festas que aconteciam no palco do antigo Cine Teatro Santa Helena. 
Foi aluna de Pedagogia da primeira turma da Faculdade Estadual de Filosofia Ciências e Letras de Paranagua. Concluiu também o curso de espacialização em orientação educacional, tendo prestando relevantes serviços como orientadora do Instituto Estadual de Educação.
Em agosto de 1966 foi nomeada inspetora Regional de Ensino, cargo que equivale hoje a Chefe do Núcleo de Educação. Neste cargo desenvolveu vários trabalhos importantes dentre os quais a transferência do José Bonifacio para o prédio atual, no bairro da estradinha.  
Mas a grande paixão de Rachel era mesmo a música. Formou o primeiro Coral de professores de Paranaguá, o coral “Diva Vidal” que viajou representando Paranaguá até no exterior.
Rachel também dirigiu o conservatório de música de Paranaguá e como professora de piano, formou várias gerações de pianistas, entre elas Gisele Rizental, hoje concertista de projeção nacional.
Rachel era extremamente caridosa e preocupada com os mais humildes. Ajudou os jovens carentes com bolsas de estudos e foi uma das mantenedoras do Lar “Hercília de Vasconcelos”, ajudando com seu próprio salário.
Era amante das artes em geral, presença sempre marcante e frequente nos recitais de poesias, espetáculos de teatrais e apresentações musicais. Rachel foi uma personalidade de grande influencia na sociedade cultural parnanguara.
Com o falecimento do seu pai, mudou-se para Curitiba, passando a trabalhar na Coordenação de núcleos da Secretaria de Educação. Rachel nunca se desligou completamente de Paranaguá. Mesmo morando em Curitiba vinha frequentemente supervisionar a escola de piano e assistir às audições de suas alunas que ficaram sob a responsabilidade de Gisele Rizental.
Após sua aposentadoria no Estado, continuou a lecionar piano e teclado, participou de vários corais em Curitiba. Faleceu em 13 de junho de 2005. Pela grande contribuição dada à nossa cultura, Rachel Costa tem seu nome incluído na galeria doa grandes vultos parnanguaras.   

Um comentário: